29 de jan de 2013

idas e chegadas


os presentes do segundo sorteio de aniversário movimento contínuo acabaram de chegar em buenos aires na mão da ilustradora ilustríssima Vanina Starkoff
viva aos ventos!

28 de jan de 2013

rostidades XII


Não há nada a explicar, nada a interpretar.

27 de jan de 2013

rostidades X!


E nesse sistema muitas combinações já seriam possíveis: ou os buracos negros se distribuem no muro branco, ou o muro branco se afila e vai em direção a um buraco negro que os reúne todos, precipita-os ou "aglutina-os". Ora rostos aparecem no muro, com seus buracos; ora aparecem no buraco, com seu muro linearizado, espiralado.

) deleuze e guatarri (

24 de jan de 2013

rostidades X


O rosto é uma superfície: traços, linhas, rugas do rosto, rosto comprido, quadrado, triangular; o rosto é um mapa, mesmo se aplicado sobre um volume, envolvendo-o, mesmo se cercando e margeando cavidades que não existem mais senão como buracos. Mesmo humana, a cabeça não é forçosamente um rosto. O rosto só se produz quando a cabeça deixa de fazer parte do corpo, quando pára de ser codificada pelo corpo, 
) deleuze e guatarri (

23 de jan de 2013

rostidades IX


Não há rosto que não envolva uma paisagem desconhecida, inexplorada, não há paisagem que não se povoe de um rosto amado ou sonhado, que não desenvolva um rosto por vir ou já passado. Que rosto não evocou as paisagens que amalgamava, o mar e a montanha, que paisagem não evocou o rosto que a teria completado, que lhe teria fornecido o complemento inesperado de suas linhas e de seus traços?

) deleuze e guatarri (

21 de jan de 2013

rostidades VIII


A boca e o nariz, e antes de tudo os olhos, não se tornam superfícies esburacadas sem convocar todos os outros volumes e todas as outras cavidades do corpo. Operação digna do Dr. Moreau: horrível e esplêndida. A mão, o seio, o ventre, o pênis e a vagina, a coxa, a perna e o pé serão rostificados.


) deleuze e guatarri (


20 de jan de 2013

rostidades VII


"Exatamente porque o rosto depende de uma máquina abstrata, ele não supõe um sujeito nem um significante que já estejam presentes; mas ele lhes é conexo, e lhes dá a substância necessária. Não é um sujeito que escolhe os rostos, como no teste de Szondi, são os rostos que escolhem os sujeitos" 

) deleuze e guatarri (

18 de jan de 2013

rostidades VI


... não se deixem mais subsumir pelo rosto, sardas que escoam no horizonte, cabelos levados pelo vento, 
olhos que atravessamos ao invés de nos vermos neles, ou ao invés de olhá-los no morno face a face das 
subjetividades significantes...

) Deleuze e Guatarri (

17 de jan de 2013

rostidades V


“A tal ponto que, se o homem tem um destino, esse será mais o de escapar ao rosto, desfazer o rosto e as rostificações, tornar-se imperceptível, tornar-se clandestino, não por um retorno à animalidade, nem mesmo pelos retornos à cabeça, mas por devires-animais muito espirituais e muito especiais, por estranhos devires que certamente ultrapassarão o muro e sairão dos buracos negros, que farão com que os próprios traços de rostidade se subtraiam enfim à organização do rosto"

) deleuze e guatarri (

16 de jan de 2013

rostidades IV - continuação



" essa máquina é denominada máquina de rostidades porque é produção social do rosto, porque opera uma rostificacão de todo corpo, de suas imediações e de seus objetos, uma paisagificação de todos os mundos e meios"
) deleuze e guatarri(

15 de jan de 2013

Com a ajuda de muitos anjos que apareceram em meu caminho conseguimos recuperar o computador e todos os meus arquivos!

Uma alegria!!!!!

13 de jan de 2013

nota urgente

oi gente, o blog Movimento Contínuo ficará sem atualizações por alguns dias em consequência de um roubo que sofremos em nossa casa levando todos os computadores e arquivos que estavam nos HDs externos.

Nesse momento encontro-me sem nenhum arquivo ou memória virtual...um grande desafio.

Começaremos tudo novamente...linha por linha, traço por traço, imagem por imagem.

seguimos ...


10 de jan de 2013

rostidades III


o rosto constrói o muro do qual o significante necessita para ricochetear, constitui o muro do significante, o quadro ou a tela. O rosto escava o buraco negro da subjetividade como consciência ou paixão, a câmera, o terceiro olho.
Ou será preciso dizer as coisas de outro modo?
) deleuze e guatarri(

9 de jan de 2013

rostidades II


Os rostos concretos nascem de uma máquina abstrata de rostidade, que irá produzi-los ao mesmo tempo que der ao significante seu muro branco, à subjetividade seu buraco negro. O sistema buraco negro-muro branco não seria então já um rosto, seria a máquina abstrata que o produz, segundo as combinações deformáveis de suas engrenagens. Não esperemos que a máquina abstrata se pareça com o que ela produziu, com o que irá produzir.
) deleuze e guatarri (

8 de jan de 2013

rostidades I


um rosto: sistema muro branco-buraco negro. Grande rosto com bochechas brancas, rosto de giz furado com olhos como buraco negro. Cabeça de clown, clown branco, pierrô lunar, anjo da morte, santo sudário. O rosto não é um invólucro exterior àquele que fala, que pensa ou que sente [...]. Uma criança, uma mulher, uma mãe de família, um homem, um pai, um chefe, um professor primário, um policial, não falam uma língua em geral, mas uma língua cujos traços significantes são indexados nos traços de rostidade específicos
) Deleuze e Guatarri (

4 de jan de 2013

carimbagem



olivia fez 3 anos...há pouco fechei o livro com as brincadeiras que fizemos com suas fotografias.
usando carimbos artesanais fomos construindo outras olivias e reconstruindo a nossa olivia.
aqui um pouco do resultado.


 


para saber mais sobre o projeto Carimbagem clique AQUI