19 de jan de 2014

presente de fabrício ramos ...


A PRIMEIRA VEZ QUE ENTENDI - Affonso Romano de Sant'Anna

A primeira vez que entendi do mundo
alguma coisa
foi quando na infância
cortei o rabo de uma lagartixa
e ele continuou se mexendo.

De lá pra cá
fui percebendo que as coisas permanecem
vivas e tortas
que o amor não acaba assim
que é difícil extirpar o mal pela raiz.

A segunda vez que entendi do mundo
alguma coisa
foi quando na adolescência me arrancaram
do lado esquerdo três certezas
e eu tive que seguir em frente.

De lá pra cá
aprendi a achar no escuro o rumo
e sou capaz de decifrar mensagens
seja nas nuvens
ou no grafite de qualquer muro.

Um comentário:

  1. Lindo poema!
    Que bom que o poeta pôde "achar no escuro o rumo", acho que preciso aprender a fazer isso também...
    Obrigada por compartilhar!
    Aliás, se você puder compartilhar também a referência bibliográfica, agradeço muitíssimo.
    A tempo: no blog do sistema de bibliotecas públicas de Guarulhos www.bibliotecaguarulhos.com.br há uma seção chamada Projeto Poesia às segundas-feiras. A curadoria é minha. Se quiser dê uma espiada e diga-me se as poesias são bacanas.
    Um beijo e muitíssimo obrigada pela inspiração!!

    Lucia

    ResponderExcluir