26 de mai de 2010

arte de desfiar II - a eternidade






esses foram os últimos bordados em panos desfiados que fotografei em Ipiaú.  a sua grandeza consiste exatamente na paciência de contar as linhas , geralmente de forma simétrica, cortá-las e depois cozê-las nos mais variados desenhos e formas.

lá no sul da Bahia chamam "bainha aberta", e as velhas senhoras, quase todas, ainda fazem.

durante muito tempo eu tive "quase" medo em aprender, pois não imaginava que teria essa paciência em contar linhas ... mas esse tempo simétrico sempre ensina.

a senhora que fez esses borbados ainda está por lá, e todas as tardes ela senta na sua cadeira para bordar. lentamente vai cozendo o que parece ser interminável, mas que na verdade é eterno ...

Nenhum comentário:

Postar um comentário